Uma janela aos domingos

Cubal Church, foto: Gert Van DermeerschA foto das janelas de hoje foi feita pelo belga Gert Van Dermeersch, em um igreja de Cubal, cidade da província angolana de Benguela. Ele nasceu na Antuérpia, é casado com uma moçambicana e atualmente vive em Londres (“embora eu esteja com mais e mais frequência em Moçambique”, como diz. E assegura: “voltarei a Angola no futuro, mas ainda não sei quando”).

Em 2005 ele teve a ideia do que mais tarde viria a ser o projeto “Another Day of Life” (Outro dia de vida), com imagens do cotidiano de países africanos de fala portuguesa (vale lembrar que além de Angola, outras quatro nações têm o português como idioma oficial no continente: Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Moçambique). Ele conta:

Queria fazer algo na África, algo parecido ao True Americans e decidi tentar esse projeto, distribuindo câmeras descartáveis. As fotografias que recebi eram surpreendentemente boas, e eu tive ótimas reações sobre elas, em especial às fotos feitas (em Moçambique) pela Aziza Amade.

O resultado foi tão bom que em 2006 ele resolveu transformar o projeto em algo maior e mais duradouro, o que gerou o site do Another Day of Life. “Foi assim que eu acabei em Cubal”.

Sem transporte
Cubal fica afastada e, durante muitos anos, como Dermeersch conta, as pessoas não tinham como viajar para a cidade porque não havia meios de transporte para lá. O fotógrafo conta que queria viajar a Cubal, que naquele momento fazia parte de um trecho recém reaberto da estrada de ferro de Benguela. Ele completa:

Em 2006 viajei de Luanda para Maputo (Moçambique) enquanto trabalhava no projeto. Por causa da guerra, as pessoas não podiam visitar amigos e familiares, e de repente passaram a ter como viajar. Isso representou uma mudança enorme na sociedade angolana.

Na realidade, Dermeersch explica que leu sobre essa história em uma reportagem da BBC sobre Cubal e a linha de trem. “Não sabia quanto daquilo era verdade, já que durante o tempo que passei em Angola descobri que muito do que se diz sobre o país na internet é de fato exagerado”, relata. “De qualquer forma, acabei passando alguns dias na cidade”, conta.

O fotógrafo descreve Cubal como “uma cidade pequena e estranha”. “É na realidade maior do que o texto na BBC sugeria”, diz. E completa, descrevendo o que viu: “Há muita arquitetura portuguesa dos anos 1970”. Ao falar da igreja cujas janelas ilustram este post, ele explica: “é uma típica igreja modernista dos anos 1950 no meio da África”. E filosofa:

De uma certa forma eu gosto desses edifícios porque eles são a expressão de uma mistura de esperança e ambição com relação ao desenvolvimento da África. A estação de trem de Beira é outro bom exemplo disso.

Sobre Gabriel Toueg

Jornalista.
Esse post foi publicado em Fotografias de Angola, Janelas em Angola e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s